Criança autista de sete anos de idade é expulsa com a mãe por causar incômodo, da agencia da Caixa Econômica Federal, em Paulista, Pernambuco

Sai da Caixa você também… Sai!

 – Gerente da Caixa Econômica Federal da agência de Paulista (Grande Recife), Pernambuco, manda um brutamontes segurança bancário expulsar mãe e filha autista menor de sete anos, alegando que a criança sendo “especial” apresentava visível “transtorno de comportamento” que poderia causar problemas de segurança; quem sabe, por devaneio gerencial, assalto ou provocar situação favorável a ilícitos naquela agência.

Com esse criminoso e inaceitável ato de discriminação de menor incapaz, a instituição federal que foi criada para servir a sociedade, se voltou contra quem deveria zelar por dever de ofício e dever humanitário, principalmente.

Se a mãe e a filha autista em busca de seu direito estivessem incomodando, caberia imediatamente receber atendimento digno personalizado do tipo babado a políticos ou alguém de conta polpuda ou de interesses pessoais, afastando-as do meio do público como seria de esperar.   

Estamos vivendo novos tempos. Os princípios éticos, morais e legais, atravessaram sem qualquer constrangimento ou escrúpulo, para o lado do banditismo e da desumanidade institucionalizada, como vimos agora, no estado federativo que pariu o grande comandante da virada nacionalista e que deixou seguidora tão cruel quanto.

Depois dos políticos vem a miuçalha infernizar a vida dos brasileiros, como esse gerentezinho de pouca valia, a não ser para seus pares e superiores hierárquicos. O crime tipificado prevê pena restritiva de liberdade. Mas o resultado do julgamento, se houver, será nada. Mas a ordem inversa não sofre reciprocidade. Funcionário público que for contrariado por público em geral, será retratado com prisão imediata do detrator. Uma espécie de julgamento sumário ou flagrante, quando o processo judicial inicia sem qualquer investigação, com pena aplicável imediatamente por autoridade discutível;

É o aperfeiçoamento da instituição bandido-corrupta no Brasil, que teve início com dois abomináveis nefandos, José Sarney seguido de Fernando Collor de Melo. Veio em seguida pela ordem, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso, ambos nem carne nem peixe. Mas o grande trunfo da corrupção e do desandar da ordem política e da ordem pública, a este ninguém bate: Luiz Inácio Lula da Silva, primeiro sem segundo, único.

A Caixa Econômica Federal através de sua assessoria divulgou em poucas linhas, pedido de desculpas pelo ocorrido.

É o suficiente?

FC.

8 comentários em “Criança autista de sete anos de idade é expulsa com a mãe por causar incômodo, da agencia da Caixa Econômica Federal, em Paulista, Pernambuco

  1. O parlamentar-palhaço dizia durante a campanha que: “pior do que está não fica”. Ficou!

    As reformas políticas tão cobiçadas pelo povo, nunca sairão do papel enquanto o Parlamento for habitado por tantos vigaristas. A razão é simples: “para haver uma reforma de fato e de direito, muitos dos atuais ocupantes de cadeiras no Congresso poderiam perdê-las”. Segundo nos consta, existe apenas um pequeno grupo de deputados federais que desde 2003 integram o movimento da Frente Parlamentar de Combate a Corrupção na Câmara. Um punhado de céticos dentro de um universo de 513parlamentares (muitos com uma reputação obscena), que insistem em debater propostas para enfrentar o gigante dos desmandos e negociatas que enxovalham o país. É realmente inglória a luta desses gatos pingados, que nesses anos apresentaram mais de 100 projetos de lei, com medidas de combate à corrupção em diversas esferas do poder, sem que nenhum fosse aprovado. O maior sucesso do grupo, até agora, foi o suporte dado ao projeto da Lei da Ficha Limpa, que chegou a Câmara subscrito por 1,4 milhão de eleitores, colocou os parlamentares sob pressão e terminou aprovado, mas, depois, drasticamente adiado (e/ou extinto) pelo STF, na pessoa do recém-empossado juiz Luiz Fux. Muitos outros projetos continuam dormindo nas gavetas do desinteresse e do corporativismo do grande dragão que é o Poder Legislativo.

    Enquanto nada for feito para frear o abuso desses membros das duas Câmaras, a palhaçada continua acontecendo incólume. Tiririca, o deputado federal mais votado em 2010 (PR-SP) já mostra que será apenas mais um na lista de picaretas do Congresso. Prometia contar o que fazia um deputado e nem precisou de lições, pois logo aprendeu com maestria a arte da safadeza política. Imitando seus pares, as nomeações de assessores para seu gabinete, os amigos comediantes de “A Praça é Nossa”, nem precisava, pois já está cercado deles, muito mais experientes. Afinal, os atos não têm nada de novo, só faltando nomear Florentina. O parlamentar-palhaço dizia durante a campanha que: “pior do que está não fica”. Ficou!

    A ausência de terremotos, maremotos, tsunamis, vulcões e outros males da natureza, tornam o Brasil um país tropical e abençoado por Deus. Todavia, com a maioria dos seus gestores administrando como se tudo fosse seus, os resultados não poderiam ser outros. O último relatório da Controladoria-Geral da União é estarrecedor, revelou à presença maciça de corrupção, o que afeta as condições e a qualidade de vida da população. A falta de pudor da maioria dos dirigentes é tamanha, que se tem a noção exata de quem está roubando. A rapinagem é tão vergonhosa que existem escritórios com empresas já montadas para qualquer licitação e/ou concorrência pública, mesmo através de pregão eletrônico. Quando há comprovação de desvio de recursos, o Ministério Público Federal ajuíza Ação de Improbidade Administrativa – Cível ou Penal – que nunca chega ao final, haja vista os inúmeros recursos e apelações que os beneficiam, além de todos terem foro privilegiado.

    Não é novidade, por exemplo, a recente descoberta da Polícia Federal, dos roubos de merenda escolar em várias cidades do estado das Alagoas, pelos prefeitos, ex,esposas e comparsas. Presume-se que foram desviados mais de R$ 8 milhões do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), em dezenas de licitações. O dinheiro foi usado para pagamento de despesas pessoais, como caixas de vinho, ração para cachorro, feiras para suas casas e, até uísque 12 anos. Todos os produtos eram comprados em supermercados que ganhavam a licitação para distribuição de merenda nas escolas. Os gestores mandavam listas com produtos caros, para justificar o valor alto da nota fiscal. Só que o que era servido para os alunos, conforme seus próprios depoimentos à PF (quando havia merenda, pois geralmente faltava alimentação em pelo menos dez dias do mês), eram somente biscoito e suco. Na realidade eles não tiveram sorte, poderia tudo passar no anonimato como sempre ocorre. Só isso, porque a fiscalização do TCU é feita por sorteio entre os mais de 5.000 municípios do país e esta barbaridade deve ser praxe em quase todos eles. Se sortear, azar, se não for sorteado, ganhou e, o aluno continua desnutrido, mantido ignorante, burro, porque criança mal alimentada não se desenvolve. Vá ver em quem os pais dessas vítimas apoiaram nas últimas eleições. Veremos os mesmos coronéis do atraso, como os Renans, Collors, Sarneys, etc. Fica um sentimento de repulsa, envolvendo dois bens preciosos: a nutrição e educação de crianças que dependem da merenda escolar em cidades pobres.

    perguntas:

    1ª) Quantos irão ser indiciados por formação de quadrilha, fraude em licitações e peculato?

    2ª) Se houvesse fiscalização idêntica em todos os municípios, quantas maracutaias não seriam descobertas?

    Curtir

  2. Amigo, como empregada dessa Instituição por cerca de 25 anos, em minha função de Assistente Social , procurei sempre, de todas as maneiras, tentar com que as estruturas hierárquicas da CEF adotassem uma posição de igualdade social, de total ausência de discriminação e preconceitos; notadamente, preconceitos que envolvessem pessoas especiais, ou seja, portadoras de alguma deficiência ou doença crônica. Lutei muito a favor da não discriminação dos soropositivos para HIV, dos portadores de dependência química, problemas psiquiátricos e um sem número de casos. Constato com pesar o fato ocorrido, principalmente se formos levar em consideração que trata-se de um Banco Social. Veja esse discurso:
    “Ao longo de sua trajetória, a CAIXA estabeleceu estreitas relações com a população ao atender necessidades imediatas do povo brasileiro.
    Desde sua criação, não parou de crescer, de se desenvolver, de diversificar e ampliar sua área de atuação. A Caixa acredita e apoia iniciativas artístico-culturais, educacionais e desportivas em todo o Brasil. Hoje, a CAIXA está presente em todo o país, sem perder sua finalidade: a de acreditar nas pessoas.
    Dentre os seus Valores encontramos:
    . Valorização do ser humano.
    · Respeito à diversidade.
    · Transparência e ética com o cliente.
    · Reconhecimento e valorização das pessoas que fazem a CAIXA.

    Faz-me rir!

    Parabéns pela postagem e um grande abraço!

    Curtir

    1. Fiesta,

      Quantos outros 25 anos serão necessários para incutir na cabeça dos cabeças dessa instituição que a sociedade é o patrão. Que devem a ela o seu sustento e mordomias. Atender bem o povo não é favor, é dever, obrigação de quem se dispôs a se tornar funcionário espontaneamente.
      Amiga, sua luta não foi inglória. Nunca será. A constância na peleja contra a desigualdade e preconceito, como bem frisou, frutifica as vezes até nas tortuosidades das linhas incompreensíveis. Pior seria seria se os baluartes, figura que voce integraliza, deixassem de mão os desmandos contra os necessitados de ajuda social; o que seria deles?

      Abraços.

      Curtir

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s