Censura política ameaça a cidadania recifense

(Enquanto isso, no Recife… (nota de repúdio)

 
– Gente, estamos circulando essa nota para a imprensa. Quem tiver contato e quiser ajudar, é só mandar! Marília Arraes censura debate sobre projeto de lei nas redes sociais Na última semana, a cidade do Recife foi surpreendida com a votação de quatro projetos de lei que, em seu conjunto, instituem um controle autori…tário e antidemocrático do espaço público da cidade, ferindo os princípios básicos da liberdade, da autonomia dos indivíduos e da convivência cidadã. São eles os PLs da vereadora Marília Arraes, que proíbem o consumo de bebidas alcoólicas nas vias públicas, e o do vereador Sérgio Magalhães, que proíbe manifestações políticas e culturais na Avenida Boa Viagem. Preocupados com o impacto negativo que essas proibições provocariam, não só nos hábitos de lazer mas na liberdade política dos cidadãos do Recife, um grupo de pessoas – incluindo professores e pesquisadores que trabalham com os temas tratados nos referidos projetos – abriu um debate com a vereadora Marília Arraes, por meio do Facebook. Inicialmente reticente, a vereadora logo se disponibilizou a debater diretamente com o grupo e, na manhã de ontem, recebeu alguns de nós (Ana Paula Portella, Suzana Ploeg e Raíza Cavalcanti) em seu gabinete. Tendo ouvido os argumentos do grupo, a vereadora comprometeu-se a continuar o debate de modo que se pudesse chegar a um acordo na redação dos PLs, sem ferir nem a liberdade, nem a democracia. Surpreendentemente, porém, na noite de ontem, a vereadora editou todo o debate feito em sua página no Facebook, mantendo apenas as opiniões favoráveis ou criando contexto de ambiguidade a partir da exclusão de alguns comentários necessários à compreensão de outros; mais grave ainda, bloqueou a maior parte das pessoas que expressaram uma visão crítica e fundamentada sobre o Projeto – entre as quais, Ana Paula Portella e Suzana Ploeg, presentes no gabinete da vereadora. Através de uma atitude extremamente autoritária, a vereadora optou por não continuar a conversa e, pior, por retirar da sua página poderosos ataques ao Projeto, inclusive no que diz respeito à interpretação dos dados da pesquisa da SDS, na qual referido PL se baseia. As pessoas envolvidas na discussão que foram sumariamente bloqueadas, em sua maioria, são profissionais da área das ciências humanas que estão preocupados não com a desmoralização da vereadora, mas preocupados com a prática da democracia, apresentando as fragilidades do PL e seu potencial de tornar-se uma lei pouco eficiente, nada democrática e prejudicial aos cidadãos do Recife, especialmente aos de baixa renda, faixa da população sempre mais penalizada por atitudes autoritárias e elitistas dos governos. Através desta nota, busca-se deixar registrado o repúdio de um grupo coerente ao comportamento da vereadora Marília Arraes, bem como ratificar o posicionamento CONTRA essa lei que, racional e estatisticamente, em nada contribui para a redução da violência, nem do consumo do álcool, tampouco “melhora as relações sociais” dos cidadãos do Recife. Todos os comentários dirigidos à página da vereadora Marília Arraes foram salvos e os autores estão dispostos a divulgá-los, visto que se trata de argumentos bem construídos, apresentando as principais falhas e a imensa fragilidade do PL 130/2011.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s