Ministério da Integração contrata empresa de aliado do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, o qual também é presidente nacional do PSB

 -Integração contrata empresa de João Recena, apesar de preço mais alto –

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), subordinada ao Ministério da Integração Nacional, firmou contrato de R$ 4,2 milhões com a Projetec Projetos Técnicos, apesar de a empresa ter apresentado preço mais altao que as cinco concorrentes.
A empresa pertence a João Recena, filiado ao PSB e amigo do presidente da legenda e governador de Pernambuco, Eduardo Campos. O contrato destina-se à elaboração de projeto executivo para pavimentação e restauração de vias secundárias em Petrolina, cidade natal do ministro. O nome do projeto é “Senador Nilo Coelho”, uma homenagem ao tio dele.
A informação foi publicada pela Folha de S. Paulo desta quarta-feira (11), em matéria dos repórteres Catia Seabra e Leandro Colon.
De acordo com a reportagem, quando o contrato foi firmado a Codevasf era presidida por Clementino Coelho, irmão de FBC. O jornal diz que a Projetec apresentou preço R$ 1,4 milhão acima da menor oferta.
A Companhia teria optado pela contratação da Projetec por conta da “qualidade da proposta técnica”, num a avaliação que atribuiu 70% de peso ao critério técnico, contra 30% à parte financeira.
o Ministério da Integração Nacional repassou cerca de R$ 34,5 milhões para a Projetec nos últimos três anos, sendo R$ 10,3 milhões em 2011. Pelo menos 90% saíram da Codevasf.
A Projetec também foi beneficiada, em maio do ano passado, com prorrogação de um contrato, no valor de R$ 6 milhões, por mais 12 meses. A empresa de Recena também tem contratos com o governo de Pernambuco.
A empresa e a Codevasf negam favorecimento.
A Folha lembra ainda que João Recena foi secretário do governo Miguel Arraes (1995/1998), assim como Eduardo Campos, neto de Arraes.
Na última campanha para o Governo de Pernambuco, Recena doou R$ 100 mil para a campanha de Eduardo.
A Projetec teve um aditamento de R$ 7,2 milhões em um contrato com o governo de Pernambuco. Um outro contrato é objeto de investigação no TCU (Tribunal de Contas da União).

Postado por Daniel Guedes

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s