O apedeuta

por Oswaldo Pullen

Ele esperava por aquilo desde cedo. O inimigo figadal por certo iria passar por ali. E assim, no momento exato, Eduardinho lascou:

– Apedeuta!

– Hem?

– Eu disse APEDEUTA!

Maneco, inimigo figadal de Eduardinho, ficou desconfiadíssimo.

– E o que quer dizer apedeuta?

– Quem não sabe o que é apedeuta é um apedeuta. Os olhos de Eduardinho brilharam com a estocada.

– Mas então me diga!

– Não digo!

– Se não disser eu lhe dou uma porrada!

Eduardinho saiu correndo lá para dentro e deixou um Maneco fulo de raiva.

– Apedeuta… apedeuta é você, seu merdinha!

Em casa, pegou o seu Aurelínho, aquele de bolso, sexta edição revisada e atualizada mas, para o seu espanto, a palavrinha não estava lá!

Ficou horrorizado. O seu Aurelinho não tinha apedeuta!

No dia seguinte, lá estava na esquina vigiando o portão do Eduardinho. No que o viu saindo, se apressou:

– Seu Alfavaca! E quem não sabe o que é um alfavaca, também é um alfavaca!

– Besteira! Alfavaca é uma planta da família das labiadas, do gênero Ocimum, cultivada nos jardins pelo seu aroma e beleza. Tudo isto segundo o Novo Dicionário da Língua Portuguesa  de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, em sua primeira edição, de 1975!

Foi aquela correria!

Mas, por um pouco, Eduardinho conseguiu se refugiar e bater a porta antes que de ser alcançado.

Passou-se uma semana. No início, Eduardinho não queria nem sair de casa, e só ia para o colégio acompanhado da mãe.

Porém, nos últimos dias, como Maneco parecia ter esquecido o assunto, largou as medidas de segurança, e deu a coisa por encerrada.

Astúcia do inimigo…

Na semana seguinte, quando saia de sua casa, eis que de um pulo, Maneco surge à sua frente!

– Triuridáceo!

– Que é isso, ô Maneco, está nervoso?

– Ahaaá! Então acertei!

– Hum, não! Triuridáceo é relativo às triuridáceas, substantivo feminino, família de monocotiledônias,  da ordem das triurodales…

– Triu… o quê?

Se você sabe o que é desespero, então sabe como é que estava o Maneco.

Deixou de ir a escola, tinha pesadelos, gritava nomes esquisitos. O pai estava apavorado:

– Que nome esquisito é este de triuridáceo? É algum palavrão?

– Quem dera, papai, quem dera!

– É, mas você vai ter quer dar um jeito nisso. Não pode continuar assim!

E era mesmo… não podia deixar as coisas assim. Já que Eduardinho era tão esperto, agora ia resolver no braço!

Um dia, cedinho, foi pra tocaia. O outro, todo serelepe, nem viu a gravata que levou:

– Diz o que é apedeuta, APEDEUTA! Diz logo!

– Eu digo, eu digo, mas não precisa me esganar!

– Fala!

– Está bem! Apedeuta, segundo o Aurélio, aquele grandão, quer dizer “Pessoa ignorante, sem instrução, apedeuto”!

Saíram os dois satisfeitos. Maneco, porque sabia afinal o que era apedeuta, e Eduardinho porque, mesmo com o sopapo que levou, tinha ganhado a partida e gozado o amiguinho durante umas boas semanas.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s