Afinal, a toda poderosa e blindada ao arrepio constitucional, Dilma Vana Rousseff, será investigada por seus envolvimentos corruptos, direto e indireto, contra a PETROBRÁS. Ou não?

O vice-líder da Minoria da Câmara dos Deputados em Brasília, Raul Jungman (PPS-PE), disse que na noite desta quinta-feira, 14.05.2015, líderes oposicionistas reunirão com Teori Zavascki no sentido de exigir que a presidente Dilma Rousseff também seja investigada no caso PETROLÃO por evasão do pobre rico dinheirinho da petroleira brasileira.

Dilma está blindada dos pés até a cabeça pela bancada que dá suporte ao desgoverno sem rumo que lhe foi solenemente confiado.
São tantas as citações de seu nome pelos delatores premiados que ela mesma já perdeu a conta (a presidanta não aprendeu tabuada, logo não sabe contar além dos dedos da mão…) de quantos malfeitos lhe são impostos. Foram 11 ao todo.

Para sorte dela e azar da nação brasileira, o procurador-geral da república, Rodrigo Janot, por que, ninguém sabe (sabe não mesmo?), bate de frente contra todas as evidencias, vestígios e indícios, que houve quando não participação direta dela nas falcatruas contra o Erário, seu indicador apontava onde estava guardada a chave do cofre petrolífero.

Janot não constituiu juízo de certeza. Num momento disse existir impedimento de ordem constitucional. Depois, ignorando as próprias palavras, falou que inexistem fatos que justifiquem qualquer investigação contra sua protegida.

Rousseff também deve saber de coisas outras o bastante para exigir proteção e blindagem de encouraçado dos seus protetores? O tempo dirá!

FC

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s