Militância no PT: “profissão” do futuro

Publicado: 17 de novembro de 2014 em Blogroll

freiconvento:

Quem quer emprego de faz-de-conta para badernar bem remunerado?

Postado originalmente em DIES IRÆ:

Militante do PT na Internet (MAV) chega a ganhar 7.500 reais de salário.

Militante do PT na Internet (MAV) chega a ganhar 7.500 reais de salário.

Sim, é isso mesmo que indica essa imagem. O recibo acima indica quanto um certo militante virtual petralha (um vagabundo, portanto) ganha para difamar pessoas e defender criminosos na internet: R$ 7.500,00.

Ver original 237 mais palavras

Dilma, para se manter no poder e posar de boa moça, não tem ou terá outra saída a não ser entregar a cabeça de Lula para a justiça. Para ela se blindar e permanecer governando, deverá dar continuidade ao processo de separação dela com o PT e todos os partidos conluiados, negando em principio a si mesma, quando fez a opção pelo PT por completo desconhecimento da profundidade do arrebatamento a que se rogou quando foi convidada por Lula para fazer parte da súcia que se agigantava nos desejos de mais grandeza à custa do suor da nação brasileira.

A presidente busca a blindagem de seu nome com proteção anticarapaça. Será ela ou eles. Acontece que o “eles” de agora, são os companheiros de luta e glórias açambarcadas da realidade histórica, pela palavra fácil da equipe, e diga-se de passagem, extremamente competente para traçar metas e rumos políticos, engodo fatal a que induziu o eleitorado na crença da nova religião a que pretende ser o novo sebastianista, sapo barbudo asqueroso e infame, ex(atual de fato) presidente da republica , suplantando a retórica infame de um Edir Macedo, cujo rebanho segue-o incondicionalmete,  por exemplo.

O ocaso dilmista se avizinha. Mas erros de lógica podem ser corrigidos quando há tempo  para reflexionar. Sim, dá.  A redenção imediata implica em denunciar Lula como o grande mentor do roubo da PETROBRÁS e do já julgado mensalão petista.   Casos em que reafirmaria a indução a erros por lavagem cerebral e cataquese fulminante dos fundamentos rapinantes a que foi submetida por Lula & Cia.

Denunciando Lula, ela sairá de fininho da exposição negativa de seu nome. O ônus dos crimes seria diluído pela grande massa da população que em princípio ficaria chocada, mas sabemos que os brasileiros são dados a comoções e descomoções instantâneas (vejam o caso Eduardo Campos). A presidente legal passaria de acusada a vítima.

Lembrar de acontecimentos sempre resgata subsidios para embasamento de teses com vista ao futuro. Recentemente Dilma Rousseff veemente e indignadamente expôs, abrindo o verbo, que não era presidente do PT, e sim presidente dos brasileiros, entre outras citações. Esse gancho sugere que algo de mais valia já estava acontecendo entre as relaçoes dela com o PT e base aliada.

Vez por outra, ela punha as unhas de fora na contramão das diretrizes petistas, querendo arriar a cangalha cujo fardo a esmagava e tirava-lhe a quase nenhuma voz própria que jamais tivera eco positivo dentro da governança.

Praza aos céus que Dilma invoque o direito de tentar a delação premiada. Ao contrário de Lula, que irá para a cadeia logo logo, a guardiã das chaves das grades será ela.

Por outro lado, a comoção levará a presidente a condição de salvadora da pátria. Decorrencias virão. Mas é bom lembrar que os deuses já existem. Todos. Não cabe mais uma santa no Olimpo ou outros céus.

FC  

Segundo pretende  os produtores da empresa “PT & Conluiados, PARTICIPAÇÕES E ROUBALHEIRA EM TUDO QUE AGREGUE VALORES MONETÁRIOS”, o sucesso desse conto, será estrondoso e repercutirá pelo menos por quatro anos consecutivos.

Mas rumores controversos indicam que grande parte da sociedade que é contra a esse tipo de indústria massivo-corrupta, já se manifesta nas ruas.

O fato presume por causa de impropriedades divulgadas durante a pré-montagem do ato, quando os escribas através da porta-voz e atriz principal extrapolaram os sensos ridículo e moral,  expondo seus contrafortes transparentes e telhado de vidro, perante plateias ao vivo e midiática, com esta ultima atingindo milhões de domicílios em tempo real.

Ainda é cedo pra saber se o grande público aplaudirá, e aos gritos concomitantes de “urra, bravo!!!” denotará prazer além do que seja compreensível para a questão.

Contudo, certamente uma minoria, aquela que lota as gerais dos circos migalhantes, a custo do erário, permanecerá aplaudindo de pé e gritando de boca cheia de pão-dormido: queremos mais, queremos mais…

FC

O traste ignominioso, é mais nojento que cancro duro em gente imunda.  Mistura piorada de charlatão com bandido de meia tigela. É tão acachapante quanto os outros “cumpanheiros” na luta para continuar a roubar o Brasil dos brasileiros. Quem sabe, o pior deles.

Mentiroso contumaz jamais abriu a boca para falar a verdade institucional. Sabe que está blindado. Logo, protegido contra as garras da lei. Mas seu reinado tem prazo de validade quase vencido.

Quando sonha com Aécio Neves ganhando a eleição o pesadelo não lhe deixa mais dormir. Se fechar os olhos o monstro horroroso da Justiça cortar-lhe-á suas muitas cabeças, tal qual  uma Hidra peçonhenta merece.

Mais o pesadelo não acaba aí. Ele tem a certeza que irá pra cadeia juntamente com a cria política, mulher azeda, que certamente voltará para a masmorra donde nunca devia ter saído. Três anos de cadeia não foram suficientes para educá-la  para a decência. No mínimo continuou a olhar o crime de soslaio e por baixo dos olhos. Só assim se justifica as vistas grossas para os escândalos principalmente no caso Petrobras: Presidanta, grande protetora da impunidade.

Mas ele tem a possibilidade de escapar da cadeia, bastando pra isso fugir da nossa Justiça e se homiziar na Itália, terra que não tem Tratado de Extradição firmado com o Brasil.  O salafrário conseguiu cidadania no rastro da ex-primeira inutil dama, sua primeira mulher “oficial” me engana que eu gosto:

Alguém sabe quantas Rosemarys Noronhas passaram por suas garras pegajosas?…

No AeroLula ou fora dele?

Semi-deus; semi-demonio

Publicado: 19 de outubro de 2014 em Blogroll

semidemonio

Final triste, melancólico, de um líder a principio, sebastianista mais agora satanista pontual, ao perceber que perdeu a credibilidade e que sua palavra de um quase semi-deus, tem o mesmo efeito da palavra de um semi-demonio diante daqueles que no passado o adoraram: descrédito total. Pior. Agora retira votos daqueles antigos apoiadores em benefício de seus adversários.

Lula encarna a presidência da república como um bem pessoal, carne que não larga o osso; ventríloquo de Dilma. Mas a boneca um tanto rebelde, teve seus dias de Pinocchio… Então a coisa desandou. Tornou-se transparente demais. A casa caiu… em cima de um formigueiro que não suportou mais tanto ser pisado impunemente.

A expressão vivo morta de zumbi sem destino a pensar aonde foi que errou.

PT e suas figuras de sustentação super estimaram a resistência dos pilares de sustentação. Ao abandonar o princípio da legalidade e optar cooptando conscientemente pela institucionalização da corrupção, assumiram o risco da ruína generalizada do partido criado para salvar o país justamente da desgraça a que deram causa.

Dilma Rousseff embarcou de gaiata nesse trem desgovernado.

Desembarque presidente. O trilho acabou.

Pernambuco ergueu a voz em nome da decência, lisura, honradez e honestidade, ao bradar nas urnas eleitorais para o PT que “… por aqui não passam”… por aqui não entram mais.

Foi um basta geral. O resgate demorou doze anos. Importa que os pernambucanos conseguiram se livrar do jugo petista impondo-lhe a verdade de seu desejo.

Lula e Dilma (nessa ordem) foram julgados e condenados ao ostracismo. Tentaram impor as candidaturas de Armando Monteiro, PTB-PE, para governador, João Paulo, PT-PE, para senador, e uma bancada para a câmara federal. Todos foram rechaçados fragorosamente pelos eleitores.

O resgate:

Paulo Câmara, candidato a governador pelo PSB-PE, foi eleito com quase 70% dos votos válidos;

Pelo senado, Fernando Bezerra Coelho, PSB-PE, reduziu João Paulo ao tamanho que lhe cabe. Zero a esquerda.

Para a Câmara dos Deputados, PT (e conluiados) não elegeu nenhum mísero candidato para a legislatura federal. A bancada pernambucana na Casa do Povo, para a próximo quadriênio estará livre e saneada do chorume que mina sua voz através daqueles que denigrem os valores políticos, morais e legais, faltando com a confiança aos que neles votaram.

O povo pernambucano fez jus aos desejos e anseios do finado líder político Eduardo Campos, PSB-PE, candidato a presidência da republica morto em circunstancias-meio ainda não explicadas para a sociedade brasileira. Ele tinha o sonho de retomar o Brasil das mãos criminosas dos que ainda gerem nossa nação. Cunhou com todos os méritos a expressão que ecoará para sempre nos ouvidos dos verdadeiros patriotas: “Não vou desistir do Brasil”.

Eduardo, não desistimos do Brasil.

E o palhaço quem é?… Comédia brasileira!!!

Publicado: 19 de agosto de 2014 em Blogroll

Recomeça o show do horário político eleitoral com a dupla falso-sertanejo Ban & Dida, a mais descarada que a bandidagem eleitoral no Brasil jamais produzira.

bandida

Ban & Dida vem estrelando a comédia brasileira por três temporadas, com vistas a mais uma, com duração de outros longos e intermináveis 4 anos.

Ban iniciou a peça sozinho, assistido por Dida. Depois de duas temporadas intentou e conseguiu manter o palco armado por mais um período terminável de 4 anos. Com Dida estrelando.

O povão inerte e destituído de um mínimo de inteligência e  acostumado com a falácia fácil e de baixo nível  do super ator – inclusive nos momentos etílicos da embriaguez contumaz – imitador da oratória dos padrinhos cubano e venezuelano, este último já morando na Cidade dos Pés Juntos, lá Nos Raios Que o Partam, ouviu seu clamor para ser substituído por Dida. Foi ouvido.

Sabe Deus a que preço…

Dida, literalmente a imposta, não sabia o que estava fazendo no palco. Até ao palhaço Tiririca pediu auxílio. Não deu certo. Tiririca negou seu apoio com medo de ser plagiado e perder a boquinha do seu fácil ganha-pão-de-cada-dia…

Mas o Circo dos Horrores, (fake homônimo que não guarda nenhuma semelhança poética com Darren Shan), estrelado sob os holofotes magnânimos dos programas sociais velosos de seus  patronos, mantiveram a plateia fidedigna até que o fogo amigo começou a bombardear os palcos mambembes armados no país com luz negra.

O fracasso da peça se tornou visível. A gagueira de Dida impedia que ela monologasse coisa-com-coisa. Os neurônios Tico e Teco entraram em convulsão…

Ban correu em socorro a Dida. Foi pior. Por falta de planejamento, erigiram o último palco do circo ao pé da Torre de Babel. Pandemônio. Ninguém entendia – e tampouco entenderá -  a vomitada cacofonia da atriz de quinta categoria arrumada nos conchavos dos anos estrelados por Ban.

A verdade floresce sobre a mentira, tenha esta o tamanho das pernas que tiver.

Ban & Dida, como todos aqueles impostos, sem escrúpulos, sem competência, sem vergonha, sem um mínimo de capacidade gestora, está assistindo a derrocada num ocaso tenebroso, cujo palco se desmorona em ruína com a imagem do Brasil nele refletida.

Infelizmente.

FC